468x60px

Featured Posts

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Jogos online onde poderá ganhar dinheiro no seu celular.

As novas tecnologias trouxeram imensos benefícios para quem utiliza a internet com o propósito de se divertir, trabalhar ou com ambas as finalidades.

De fato, a partir do momento em que a internet surge como uma opção móvel, ou seja, disponível e acessível em toda a parte através de computadores portáteis, tablets ou celulares, a informação e o divertimento tornaram-se mais acessíveis e, melhor que tudo, 24 horas por dia todos os dias!

Desta forma, a internet tem vindo a acompanhar as necessidades de mobilidade do ser humano e o conceito de estar na internet já não se coaduna com a imagem de alguém fechado em caso entre quatro paredes! A evolução da internet confunde-se com a evolução do homem atual que se entende como alguém ocupado e ativo com inúmeros compromissos no exterior.


A par das necessidades laborais, também a necessidade de divertimento é fundamental ser preenchida e, como tal, aceder ao a diferentes jogos online através do celular e apostar nos jogos que mais curte a dinheiro em qualquer lugar e hora é um privilégio de que não vai querer abdicar!

Com uma vasta gama de jogos de casino existente hoje em dia todos oferecem um ambiente envolvente e convidativo, havendo jogos assim como roleta online onde poderá aceder através do seu celular.

Apresentadas em diversos formatos, são extremamente apelativas tanto para os jogadores ocasionais, como para os jogadores habituais que encontram nelas uma possibilidade de jogar a dinheiro e ganhar enquanto se divertem! E tudo tão acessível no seu celular…

Já conhece todas as potencialidades do seu celular? Talvez não… Experimente jogar jogos de casino online a dinheiro e coloque o melhor da tecnologia ao seu serviço!

Se você gostou deixe um comentário!

Leia também:

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Como solucionar problemas de áudio do computador

Verificações simples na configuração do sistema podem solucionar os problemas de áudio de um dispositivo

Problemas com a saída de áudio do dispositivo são frequentes em PCs Windows. A origem das falhas no som de um computador pode ser diversa, mas costuma se reduzir a problemas com o hardware, configurações do sistema ou drivers desatualizados.

Como as falhas de hardware são mais difíceis de consertar, convém descartar outras causas antes de trocar qualquer componente do dispositivo.

A solução pode ser simples. Se o áudio de um computador não funciona ou apresenta defeitos, recomenda-se tentar as soluções a seguir.

1. Determinar o dispositivo de reprodução de áudio
Quando um usuário troca de dispositivo de reprodução do fone de ouvido ao som integrado do sistema, por exemplo, pode ser preciso configurar o novo dispositivo como pré-determinado. Para isto, basta acessar o Painel de Controle > Som, escolher o dispositivo de reprodução e defini-lo como pré-determinado.

2. Conferir a configuração de áudio
Mesmo que possa parecer excessivamente simples, é preciso verificar se o dispositivo de reprodução está silenciado ou não. Basta verificar se o ícone do alto-falante na barra de tarefas apresenta um “x” do seu lado. 


Neste caso, é preciso clicar no ícone para ativá-lo. Se isso não funcionar, pode ser que alguma outra configuração do sistema esteja impedindo que o áudio funcione corretamente. Para comprovar, basta clicar com o botão direito sobre o ícone do alto-falante na barra de tarefas do Windows e abrir a opção “Solucionar problemas de som” para verificar se o dispositivo não se encontra silenciado.

3. Atualizar os drivers de áudio
A placa de som e os dispositivos que reproduzem áudio em um computador precisam se comunicar com o sistema operacional para funcionar corretamente. O driver é o software que interage com o sistema operacional para garantir o correto funcionamento do dispositivo. 

É bastante comum que os fabricantes destes dispositivos publiquem atualizações dos seus drivers para introduzir melhoras, reparar erros e fazê-lo compatível com as atualizações do sistema. 

Por isso, frequentemente os problemas com a reprodução de áudio em um PC podem ser corrigidos com a atualização de drivers.

Para atualizar os drivers de áudio manualmente é preciso acessar o Gerenciador de Dispositivos do Windows 10. Para isso, basta pressionar as teclas de Windows + X. Na categoria “Controladores de som, vídeo e jogos”, deverá selecionar o dispositivo cujo driver queira atualizar e clicar em “Atualizar driver”

O Windows buscará o software do driver mais atualizado e, se encontrar uma versão mais recente, sugerirá sua instalação.

Se prefere uma opção mais rápida para poder atualizar vários drivers ao mesmo tempo, pode usar um programa como DriverMax. Desta forma, o próprio programa monitorará seu computador e detectará quais são os drivers que precisam ser atualizados. Para atualizá-los, bastará selecioná-los e clicar em “Baixar e instalar”.

Além de detectar rapidamente os drivers que precisam ser atualizados, este método permite atualizar múltiplos drivers ao mesmo tempo. Outra vantagem do programa é o fato de dispor de uma grande biblioteca de drivers, além de um algoritmo de combinação de drivers. 

O algoritmo permite que o programa possa oferecer o driver mais adequado nos casos raros que o driver original não esteja disponível.

Se deseja conhecer ou baixar o programa, visite o site do DriverMax.

Se você gostou deixe um comentário!

Leia também:


terça-feira, 13 de junho de 2017

Aplicativo BrightCam, permite personalizar selfies de 482 formas diferentes

O aplicativo da Google Play “Bright Câmera para Facebook”, celebra com novos designs gratuitos, mais de cinco milhões de usuários registrados.

O app chega a cifra de 482 personalizações que podem ser combinadas e se tornarem em milhões de resultados finais possíveis; sempre podemos tirar o selfie perfeito.

O “Bright Câmera para Facebook” tira selfies de várias maneiras: no modo automático, graças ao reconhecimento automático rosto; por um temporizador de 2,5 segundos; ou da maneira tradicional. Tem foco automático, editor de selfies, e faz upload de suas fotos para o Facebook, Instagram ou WhatsApp instantaneamente.

A aplicação de selfies oferece 482 filtros e cenas para completar a sua captura, assim você sempre pode encontrar o que você está procurando em todos os momentos.

Inclui efeitos de câmera, cor, e pode até mesmo suavizar ou branquear rostos com uma ação simples. Efeitos como desfoque, preto e branco, foto, ou vários filtros são apenas algumas das opções deste aplicativo.

Editar fotos online de graça

Ele inclui um editor de fotos poderoso especialmente concebido para celebrar retratos. Os usuários podem editar tanto novas capturas, como as fotos armazenadas em sua galeria.

O app oferece uma ampla gama de possibilidades para editar selfies: muitos efeitos de luz de ambiente, várias cores e filtros artísticos, e uma grande variedade de bordas.

O aplicativo tem uma série de efeitos em tempo real, para que você possa ver o resultado final mesmo antes da captura. Se o seu caso são as mensagens, o “Bright Câmera para Facebook” também inclui a capacidade de sobrepor rótulos com os quais complementam uma determinada data, ou enviar uma mensagem muito pessoal.

O aplicativo também permite que você escreva mensagens personalizadas em imagens, tornando-se uma forma gratuita, rápida e simples de criar memes engraçados.

Agora se você estiver interessado em uma poderosa ferramenta para edição de fotos online, eu recomendo o Canva. É um software de design gráfico gratuito, fácil de usar e completamente online (não é necessário baixar nenhum programa).

O Canva foi criado há menos de 5 anos e já conta com mais de 10 milhões de usuários, por 197 países. Para se ter uma ideia, a cada segundo são 4 novos designs sendo criados. Recentemente o site foi lançado no Brasil e já conta com uma ótima aceitação dos usuários.

Se você gostou deixe um comentário!

Leia também:



Direito Autoral: Como ele funciona na internet?

No âmbito legal, a questão do direito autoral pode gerar muitas dúvidas e diferentes interpretações, uma vez que baseia-se na propriedade intelectual e artística.

Quando a questão está em obras digitais, a dúvida aumenta, mas as diretrizes sobre a autoria são as mesmas.

Segundo Lei de Direitos Autorais – Lei 9.610/98 – autor é a pessoa física criadora de obra literária, artística ou científica, e a ele compete usufruir de sua obra, sendo que a utilização da mesma por terceiros deve ocorrer mediante autorização do autor.

Em caso de morte do autor, sua obra passa a ser de domínio público após 70 (setenta) anos, quando pode ser utilizada sem a necessidade de autorização ou pagamento sobre direitos autorais.


Direito autoral na Internet
As obras publicadas na internet estão protegidas pela Lei, como rege o artigo 7 da Lei de Direitos Autorais, que estabelece a proteção das obras “expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro”.

Com essa base, entende-se que qualquer violação aos direitos do autor executada online é passível das mesmas sanções que as veiculadas em outros meios. Portanto, compartilhar sem autorização ou créditos algum conteúdo da web pode levar à um processo judicial.

São consideradas violações da Lei:
  • Reprodução parcial ou integral;
  • Edição;
  • Adaptação e arranjo musical;
  • Tradução;
  • Inclusão em produção audiovisual;
  • Distribuição;
  • Utilização da obra de forma direta ou indireta.
Caso o autor sinta-se prejudicado segundo a Lei dos Direitos Autorais, deve procurar um advogado e ingressar com uma ação de indenização na Justiça. Caso o reclamante não deseje indenizações financeiras, pode ainda pedir a retirada do conteúdo de veiculação.
Registro de obra

O registro de uma obra intelectual é recomendado, uma vez que serve como prova em processos de reclamação sobre autoria, mas não é obrigatório. Existem outras maneiras de provar que é o autor de determinada obra, mas o registro facilita a prova e é acessível, uma vez que possui baixo custo.

  Se você gostou deixe um comentário!

Leia também:


6 dicas práticas de marketing para negócios no Instagram

Você está em busca de dicas matadoras de marketing para o Instagram da sua empresa? Este artigo é para você! Separamos seis dicas úteis para usar o seu Instagram para negócios.

1) Sua bio do Instagram é um espaço para anúncio
O instagram pode ser viciante, não é mesmo? É uma rede social divertida, espontânea, e ainda conecta várias pessoas pelo mundo. Para negócios, todavia, você precisa ser mais estratégico. Para a bio, você possui 150 caracteres para dar voz à sua marca. E, claro, o Instagram permite um link clicável no seu perfil.

Nele você pode linkar o seu blog, site oficial ou loja (e-commerce). Sabe quando dizem que você só tem dez segundos para conquistar o consumidor? No Instagram as coisas funcionam ainda mais rápido.

Basta 5 segundos para um usuário determinar se quer continuar olhando o seu feed ou não. Por isso, tente espaçar o texto. Coloque uma frase por linha, focando nas características centrais do seu negócio, de forma a chamar atenção de um potencial seguidor.

2) Monitore o seu tráfego no Instagram com um encurtador de URLs
A partir do momento em que o seu perfil fica mais movimentado e começa a ganhar mais likes e seguidores, você precisa monitorar o tráfego de sua conta no Instagram. Você vai usar essas métricas para analisar a eficácia do seu perfil no Instagram.

Você pode escolher um site encurtador de URLs de sua preferência, mas indicamos o bit.ly , que é gratuito. Ele consegue rastrear o seu CTR (click through rate/taxa de cliques) e possui uma boa interface, é fácil de utilizar.

Marketing no Instagram

3) Use as hashtags no Instagram a seu favor
Acesse a aba “explorar” para descobrir o que está em alta no momento. Funciona mais ou menos os trendings topics do Twitter e do Facebook, só que de uma forma mais variada. Com as hashtags, você pode atrair mais tráfego gratuito para a sua marca.

Se você detectar uma hashtag em alta que tenha a ver com os seus produtos, coloque-a nos posts. E lembre-se, use apenas hashtags relevantes e não erre a mão na quantidade. No momento, inclusive, os emojis estão em alta no Instagram. Na aba explorar você pode procurar pelos emojis em categorias.




















4) Misture fotos e vídeos no seu perfil do Instagram
Os vídeos começaram a rodar no Instagram em 2013. Os vídeos podem ajudar a melhorar a reputação e o engajamento com o público. Alinhando fotos e vídeos, você obtém um visual mais atrativo da sua conta no Instagram.

Visualmente, chama mais atenção. Pense também nas possibilidades de compartilhamento. De acordo com o Instagram, os vídeos possuem de 3 a 5 vezes mais chances de serem compartilhados (ou repostados) do que as fotos.

5) Garanta que suas fotos no Instagram são dignas de serem compartilhadas
Posts com descrição são uma excelente forma de aumentar o engajamento com os seus seguidores. Mantendo a ideologia da sua marca, você pode usar frases inspiradoras, dicas e tutoriais que vão aprimorar suas campanhas no Instagram.

Uma boa ferramenta que pode te ajudar é o Canva. Com ele, você pode criar imagens incríveis de forma simples. Você cria uma identidade visual bacana para as suas imagens sem precisar abrir um programa pesado como o photoshop. Para obter o máximo de retorno possível dos seus seguidores (e de potenciais seguidores também!), certifique-se de usar hashtags relevantes.

6) Use algumas ferramentas para otimizar o seu tempo
Nem todo mundo tem tempo para usar o Instagram de forma compulsiva, você sabe. Já existem algumas ferramentas automáticas que podem ajudar sua marca a crescer. Nós aconselhamos, por exemplo, o uso de uma ferramenta chamada Hootsuite.

Você pode utilizá-la para programar posts. E ele é válido para diversas redes sociais, não apenas para o Instagram. Com o Hootsuite você pode escolher o dia, mês, dia e horário para postar sua foto ou vídeo no Instagram.

Você também pode usar o GrowSocial para otimizar o seu tempo.

Se gostou deixe um comentário!

Leia também:



domingo, 11 de junho de 2017

Quais os Custos de Criar um Site

Cada vez mais empresas e profissionais procuram por possibilidades de se relacionar com clientes e terceiros. Um dos canais mais essenciais além de redes sociais é um site próprio na internet.

Apesar de ser uma necessidade que se torna mais barata com a demanda crescente, é importante ter ciência que a criação e manutenção de um site envolvem custos.

O primeiro passo é o registro do site. Domínio com final .br que custam em torno de R$30 anualmente quando adquiridos pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, o chamado NIC. Porém, é preciso configurar todos os passos manualmente e opções como proteção de dados do detentor que são limitados.

Muitos criadores recorrem por soluções mais completas em termos de serviço e proteção. Para usufruir estas vantagens com um domínio .br, os prestadores cobram mais caro e podem chegar a R$200 por ano. Mas a integração com outros passos essenciais de criar um site é facilitada.


Após registrar o domínio, o próximo passo é a hospedagem do site em um servidor. Tipicamente é necessário calcular com preços em torno de no mínimo R$10 a R$15 por mês para os planos mais básicos. Estes oferecem espaço e número de e-mails limitados, como encontra-se na Locaweb, 1&1 ou Hostgator. Para um site básico eles são mais do que suficientes.

Muitas empresas também tentam atrair clientes com promoções que custam menos de R$5 pela hospedagem e tem validade limitada como, por exemplo, um ano.

Pessoas e empresas com orçamentos apertados podem então optar por mudar a hospedagem periodicamente mas precisam lidar com dificuldades de transferir os dados e eventuais problemas de compatibilidade.

Caso não tenha conhecimento da parte técnica de montar um site, pode ser preciso contratar um especialista que geralmente cobra em torno de R$500 para montar o site de forma básica. 

Quanto mais sofisticado o site for mais caro o serviço ficará, porque pode ser preciso contratar um designer gráfico para dar um toque especial no site.

Quem tem facilidade de se adentrar em assuntos tecnológicos e está sem orçamento para estes profissionais, também pode recorrer alternativas praticamente prontas gratuitas como temas de Wordpress.

Após a instalação no servidor, o gerenciamento básico do site é bastante intuitivo e novas funções podem ser adicionais através de plugins.

Mecanismos de segurança contra hackers precisam ser implementados. Além de soluções profissionais que custam poucos reais por mês existem também alternativas gratuitas.

As pessoas sem orçamento algum, ainda podem criar sites em formato de blog com domínio blogspot.com e já ter todas as soluções inclusas. Porém esta solução não deixa uma imagem muito profissional.

     Se gostou deixe um comentário!

Leia também:



quinta-feira, 1 de junho de 2017

7 aplicativos que todo mundo precisa ter no celular em 2017

Todo ano, alguns aplicativos “bombam” nos celulares de todo mundo. O brasileiro adora uma novidade e acaba embarcando em tudo o que for diferente.

Algumas coisas acabam até perdendo a graça, pouco tempo depois, mas ninguém quer ficar de fora, não é? Conheça alguns deles:

1- Needja - Android


Conhece o Needja? Pois devia! Participe desta rede social solidária. Eles ajudam a pessoas próximas ou distantes a conseguirem ajuda para qualquer necessidade que tenham.

 Precisa de um carpinteiro? Coloca lá. Quem sabe não tenha algum querendo um trabalho? 

2 - Exacto - iOS


O Exacto retira o fundo de qualquer selfie e insere a paisagem que você quiser. Muita gente sempre sonhou com um aplicativo assim e agora ele está disponível para iOS. É pago, no entanto.



O game Clash of Clans é um jogo de estratégia e de gestão, onde o participante deve construir sua aldeia e se preparar para lutas épicas entre clãs.

São duas etapas diferentes, na medida em que o participante vai sendo ativo, ele ganha dinheiro e compra melhorias pra sua aldeia. É gratuito.


Se você quiser ter um pouco de tudo que for delicioso, com entrega rápida, até comida vegana, há o sempre pontual PedidosJá, que também funciona como site. 

Dá para pedir um lanche saudável ou até uma bela garrafa de vinho. Com tantas opções, fica fácil experimentar várias culinárias todas as vezes que fizer o seu pedido.

5 - Snapchat - Android, iOS


O Snapchat é um ótimo aplicativo de vídeo e chat. O Instagram e o Facebook acabaram roubando a sua principal atração: o stories. Mas o charme do fantasminha permanece o mesmo. Já experimentou?

6 - Frontback AndroidiOS


Um aplicativo que une as câmeras frontal e traseira, esta é a proposta do Frontback Câmera, que permite ao usuário fazer ótimas combinações e montagens. 

Além de adicionar mensagens, marcar amigos e colocar hashtags, postando tudo nas redes sociais.


O Chrome Remote Desktop permite que o usuário acesse seu computador desktop direto do celular Android. Pode ser Windows ou o Mac, ainda por cima. Muito útil, ele funciona via navegador Chrome.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O MP3 está morrendo. E agora?

Arqueólogos e curiosos em geral costumam se perguntar como os velhos habitantes do Egito conseguiam cortar com precisão milimétrica grandes blocos de rocha para construir templos e pirâmides.

Desconsiderando as hipóteses de que eram auxiliados por ETs, resta a constatação de que os habitantes da região, há milhares de anos, tinham técnicas bastante específicas e funcionais. Seja qual tecnologia usassem, ela se perdeu. 

Na história humana, a evolução costuma se dar com perdas só notáveis quando tarde demais. Mas talvez nesse exato momento estejamos vivendo um desses instantes de morte tecnológica - e poder observá-la ao vivo pode ser tão fascinante quanto triste.

A perda em questão é de uma tecnologia que começou a ser gestada lá no fim dos anos 1970 - a do MP3. O formato de arquivo digital que mudou tudo no cenário musical teve sua morte anunciada neste mês de maio de 2017 - 22 anos após seu nascimento oficial, no nem tão longínquo ano de 1995. 

O anúncio do possível fim desse jovem incendiário que balançou as estruturas da indústria da música foi feito pelo Fraunhofer IIS, o instituto de pesquisas alemão que é pai e mãe do MP3. Aliás, bem mais pai: a equipe de pesquisadores que o criou não tinha mulheres.

Em um comunicado nada emocional, o Fraunhofer disse que a última patente referente ao MP3 se esgotou em abril - e que não dará mais suporte ao formato, agora livre de copyrights. Na prática, quer dizer que mudanças que impactem o funcionamento do MP3 não implicarão em adaptações "oficiais" no conjunto de software feitas por seus pais. 

Só isso. Pode não parecer muito, mas imagine que surja um novo sistema operacional totalmente diferente de tudo que existe. Pronto. O MP3 não terá mais uma casa onde ir para se adaptar. Isso é ruim. Por outro lado, com patentes livres, qualquer um poderá mudar o padrão para adaptá-lo a um novo ambiente. Mas isso significa bagunça potencial. 

Quem usa computador com variantes do Linux sabe o que significa. Se cada um faz o que quer, por vezes as coisas não funcionam muito bem.

Uma coisa é certa: o mundo não foi o mesmo após o nascimento do MP3 e não será o mesmo após seu fim. Quem não viveu seu início, em 1995, não pode imaginar o que esse punhado de linhas de código significou.

Quais formatos vão substituir o MP3 - AAC, FLAC

A possibilidade de gravar horas de música em arquivos digitais pequenos e portáveis, usando apenas um PC e um software como o histórico Nero Burning ROM, e depois transitar livremente esses arquivos pela então nascente internet foi algo tão impactante quanto a invenção do disco de áudio por Thomas Edson

Se antes a música só podia ser usufruída crua, ao vivo, Edson permitiu que ela fosse fixada em um dispositivo móvel, o disco. Mas isso ainda exigia equipamentos e movimentação física do vinil - ou de fitas, CDs e outros invólucros físicos. O MP3, que demorou quase 20 anos para ser desenvolvido pelos alemães do Fraunhofer, mudou essa lógica. A mobilidade se tornou virtual: de um só ponto no espaço-tempo era possível duplicar infinitamente uma música. 

Antes, a duplicação só se dava no um a um: eu copio um vinil em uma fita casette e ponto. Depois do MP3, os conteúdos musicais se democratizaram. 

Músicos deixaram de depender exclusivamente, para a distribuição, da indústria fonográfica, e consumidores sem dinheiro para adquirir um CD ou vinil puderam, de alguma maneira, ter acesso a seus conteúdos. Sim, isso significou pirataria a princípio - mas hoje é o que permite a você comprar uma faixa musical por poucos reais e tê-la na hora em seu celular ou computador.

Essa ideia já estava na cabeça dos pesquisadores que trabalharam no projeto do MP3. "Nossa visão, lá pela metade dos anos 90, era de que qualquer pessoa um dia poderia levar suas músicas em um dispositivo portátil", relembra Harald Popp, um dos inventores do formato. “Mas naquela época muitos especialistas diziam que jamais existiria um aparelho portátil capaz de acomodar a complexidade do MP3."

No fundo, estes descrentes não só duvidaram do MP3 como também não conseguiram pressentir toda uma indústria criada a partir dele para gerar novas maneiras de usufruir música. Empresas pioneiras como a Nero, fundada em 1988 e ainda hoje atuando no mercado de multimídia, ou mesmo fabricantes que usam o formato em seus equipamentos de áudio até hoje, como a Sony, não teriam avançado tanto quanto avançaram sem o MP3.

Mas, e agora? O que ocorrerá se o MP3 desaparecer assim como sumiram as técnicas de cortar rochas dos antigos egípcios? Bem, o fato é que embora revolucionário, o MP3 vem a cada dia perdendo espaço para arquivos mais interessantes - em tamanho ou em qualidade do áudio. 

Formatos como AAC e FLAC, já suportados por softwares de transcodificação e de execução, oferecem ambas as qualidades. Seus arquivos são menores e o som, melhor. O AAC, aliás, é filho dileto do MP3: foi criado pela turma da MPEG, entidade mundial que congrega fabricantes para criar padrões globais. 

Não por acaso, a MPEG foi, a partir do fim dos anos 80, uma das envolvidas na criação do MP3 - tanto que a sigla resume o nome completo do formato, MPEG Audio Layer-3. Ou seja, o MP3 pode até morrer - mas permanece em seu descendente. Ainda bem.

Se você gostou deixe um comentário!

Leia também: