468x60px

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Google, Facebook e Amazon ameaçam paralisar serviços por um dia em protesto

Como seria sua vida se, de repente, em um só golpe, você fosse impedido de acessar o Facebook, comprar produtos na Amazon e, de quebra, estar impossibilitado de fazer pesquisas de qualquer espécie no Google? Parece o fim do mundo, ainda mais neste ano de 2012, não?

Mas, enquanto a previsão do Apocalipse pelo calendário maia ainda é um objeto de descrença geral, os três pesos pesados da internet de fato estão ameaçando paralisar seus serviços. Ao menos por um dia, em protesto ao Stop Online Piracy Act - o "SOPA" -, as três empresas mais bem sucedidas da rede mundial anunciaram a intenção de "desligarem-se" por um dia.

Trata-se de um projeto de lei tramitando no setor judiciário dos Estados Unidos, que, segundo o próprio resumo, visa proteger os produtores de conteúdo da proliferação indevida e não-remunerada de suas criações. Em outras palavras, um filme distribuído de forma pirata pode valer uma pena desde bloqueio do canal que hospeda o arquivo - torrent, P2P ou HTTP - até processo judicial e prisão dos proprietários do dito canal.

Naturalmente, empresas como gravadoras, produtoras cinematográficas e até mesmo produtoras de jogos eletrônicos assinaram apoio ao projeto, enquanto Google e Facebook o contrariam, sob protestos de que, aprovada, a nova lei poderia dar poder de censura a quem não deve tê-lo, "aleijando" a transmissão de informações na internet.

Dia Negro
O protesto, noticiado pela Fox News como "Blackout", também pode incluir o Twitter e a Wikimedia Foundation, a entidade por trás da Wikipedia. As empresas citadas estão em discussão sobre como levar a operação adiante, baseando-se no "Blackout Day" promovido pela fundação Mozilla - a mãe do navegador Firefox -, realizado há alguns meses.

.