468x60px

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Tecnologia que converte COBOL em Java chega ao Brasil

Plugin ELPaaS, da Heirloom Computing, usa conceito plataforma-como-serviço e será comercializado no País pela DTS.

A DTS Latin America, em parceria com a Heirloom Computing (HCI), traz para o Brasil a ferramenta ELPaaS para conversão em Java de aplicações desenvolvidas em COBOL.

Criado pela norte-americana HCI, uma startup com pouco mais de três anos baseada no Vale do Silício, o ELPaaS é um plugin que utiliza o conceito plataforma-como-serviço para criar códigos-fontes em Java de aplicações originalmente escritas em COBOL.

“Pode soar como se fosse uma tradução, mas não é isso”, afirma Fernando Parra, presidente da DTS, empresa brasileira fundada em 1983, especialista em migrações em tecnologias legadas e responsável pela distribuição do produto no País. “É todo um processo de alta conversão e compilação de aplicações em cloud computing”.

Como aprender a programar em cobol e java

As migrações de uma linguagem a outra, explica o executivo, mantêm a lógica de funcionamento original, como se o Java ‘entendesse como o COBOL se sente ou se comporta’, evitando que o conhecimento seja perdido e fazendo com que a aplicação rode como se estivesse na linguagem antiga. “É como se passassem a falar a mesma língua”, diz Parra.

O novo código roda em ambiente virtualizado em Java, tornando possível a utilização de servidores em UNIX tradicionais ou até mesmo nuvens públicas ou privadas. “Esse é outro ponto interessante da tecnologia, que apesar de robusta é bastante flexível”, revela o CEO. “As aplicações já foram testadas pela HCI em pelo menos 30 plataformas de nuvem diferentes e nenhuma limitação foi detectada até agora na migração”.

De acordo com Frayne Sunahara e Randy Fowler, executivos da Heirloom Computing que juntos somam mais de 20 anos de experiência em desenvolvimento – muitos deles em COBOL –, a mudança não exige adaptações dramáticas ou extremamente onerosas, uma vez que desenvolvedores em COBOL e em Java podem entender o código. Fowler lembra ainda que essa flexibilidade abre um leque interessante de possíveis implementações no sistema. Além disso, os custos de migração tem um retorno de seis meses a dois anos, segundo estudos da HCI.

A parceria para distribuição da tecnologia no Brasil foi fechada no final do ano passado entre a Heirloom Computing e a DTS. As vendas já estão em andamento e a meta é atender a dez casos de migração de tecnologia só em 2014.


Leia também: