468x60px

sábado, 17 de maio de 2014

Saiba como a tecnologia está ajudando prevenir a evasão escolar.

Através do uso de Business Analytics, as informações que uma Instituição de Ensino possui são utilizadas para identificar o que está acontecendo com seus alunos.

É possível sinalizar com antecedência, se um determinado aluno tem propensão para deixar a instituição através da avaliação de informações como: presença em sala de aula; atraso de entrega de trabalhos; diminuição no volume de livros emprestados; diminuição do acesso as atividades na Web; atraso no pagamento de mensalidade, etc.

Conhecendo o aluno com potencial de evasão, é possível criar ações para retê-lo: campanhas especias; aulas de reforço; parcelamento da mensalidade, etc. Além de utilizá-la para diminuir o abandono dos cursos pelos alunos, pode ainda ser utilizada para conhecer as dificuldades de cada aluno, para identificar talentos, os melhores professores (através do desempenho de notas dos alunos) e premiá-los por seu desempenho diferenciado.

Tudo parece simples quando são avaliados 10 ou 20 alunos, mas quando o número de pessoas é de 10.000, 20.000 ou 100.000 alunos, a análise passa a ser complicada se não houver ferramentas adequadas para tomada de decisões de forma correta.


A evasão/abandono dos alunos é um dos principais problemas enfrentados pelas instituições de ensino e o mercado de educação perde aproximadamente 1 milhão de alunos por ano (cerca de 47% dos estudantes brasileiros), que desistem de seus cursos, antes de concluí-los. 

Segundo o MEC, o fato representa um prejuízo maior que R$ 9 bilhões anuais às universidades brasileiras. O problema se agrava, pois as instituições não conseguem identificar as causas reais do abandono e, muito menos, traçar ações preventivas.

A IBM possui mais de 300 consultores ao redor do mundo especializados no mercado educacional, e já foram realizados mais de 2.000 projetos de transformação e tecnologia em instituições de todo o mundo. Para o Brasil, as soluções desenvolvidas nos EUA são customizadas e, além das soluções tradicionais de TI, podemos mencionar algumas como:

Utilização de ferramentas como Coremetrics e Unica: casos como a da Hamilton County que utilizou a solução para aumentar seu número de alunos, através de campanhas no Facebook.

Soluções de HPC (High Performance Computing): auxiliam instituições através de um cluster de computadores específicos para grandes volumes de processamento;

Soluções para o gerenciamento inteligente dos prédios: como a Portland Public Schools, reduziu em 15% os custos de gerenciamento de instalações;

BYOD: permite o aluno levar seu próprio dispositivo para a universidade.

Ligia Tsubouchi, Gerente de Relacionamento para Instituições de Ensino da IBM Brasil, falou um pouco da importância da IBM estar inserida nesse mercado:

"O mercado de educação está vivendo um momento de transformação, tanto em sua parte acadêmica quanto administrativa. Temos um movimento de consolidação de um mercado extremamente pulverizado e que futuramente 12 grupos dominarão o mercado.

Temos a presença de vários grupos estrangeiros, de olho no mercado brasileiro que só no ensino superior cresceu seu faturamento em 30% nos últimos 2 anos. E que em 2013 representará R$ 32 bilhões. A transformação na parte acadêmica está justamente na adequação da linguagem e metodologia utilizada, para aproximar instituições da nova geração de alunos. 

O uso da tecnologia será fundamental e irá desde a parte de oferecer infraestrutura de qualidade (salas multimídia, rede de alta velocidade), passando por uma reavaliação da metodologia de ensino, (ensino à distância, acesso aos professores através das redes sociais, blogs, utilização de games, realidade aumentada) e etc.

Para garantir uma boa experiência do aluno com a instituição é necessário conhecer as sua ideias, planos e intenções para poder retê-lo. Sem o uso de tecnologia esta virada seria praticamente impossível, se considerarmos o volume de informações e de alunos no mercado." 

Fonte: IBM

Leia também: