468x60px

sábado, 20 de setembro de 2014

Smartphone: O novo vício da sociedade

No mundo, já foram vendidos mais de 1 bilhão de smartphones e esse número não para de crescer. No trabalho, em casa, nos transportes, no trânsito, nas filas, para onde quer que você vá, há cada vez mais pessoas conectadas, mostrando que o hábito se transformou num vício.

Segundo a consultoria IDC, neste ano a venda de celulares com acesso a internet cresceu 110% em comparação com o ano de 2013. Estima-se que até o final de 2014 haverá mais de 6,9 bilhões de celulares no mundo, desse total 40% são celulares capazes de se conectar a internet.

Uma pesquisa recente constatou que de cada dez usuários de Smartphone, cinco se consideram viciados pelos seus aparelhos, e 55% dos entrevistados confessaram que não conseguem ficar mais de 1 hora sem checar o seu dispositivo.

A BemMaisSeguro.com, lá dos Estados Unidos, fez um pesquisa que revelou a extensão desse vício: algumas pessoas abririam mão de se alimentar só para ficar com o celular.

Confira o resultado da pesquisa:


Os especialistas apontam que a iluminação de dispositivos e computadores portáteis diminui a produção de melatonina no organismo, gerando problemas de saúde. O vício em smartphones é uma questão tão séria que já há até tratamento para isso no Brasil.

Se você acha que está exagerando – principalmente nas horas de lazer – o primeiro passo é tentar dosar o uso do smartphone. Ainda assim, reconhecer a dependência não é fácil. Mas quando uma pessoa se descobre viciada, é muito importante que ela procure a ajuda de um profissional.

O Núcleo de Pesquisas da Psicologia em Informática da PUC de São Paulo oferece orientação psicológica sobre vício em internet e smartphones de graça via e-mail. O serviço é dirigido às pessoas que apresentam dificuldades geradas pelos usos compulsivos ou excêntricos dos smartphones.

A procura ainda é baixa: em média, são apenas cinco atendimentos por mês. Mas basta enviar um e-mail relatando seu caso e, em seis semanas, um psicólogo vai te ajudar a entender o motivo do seu vício e até explicar como se livrar dele.

          Se você gostou deixe um comentário!

Leia também: