468x60px

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Marketplace é uma opção barata para iniciantes no e-commerce.

Os marketplaces são plataformas eletrônicas prontas para vender seus produtos. Um exemplo mundialmente conhecido dessa nova forma de vender é a gigante Amazon, que tem uma grande variação de produtos próprios e terceirizados.

No Brasil – e em toda a América Latina – o maior exemplo de marketplace é o Mercado Livre que comercializa apenas produtos terceirizados, um verdadeiro shopping online, onde ela oferece todos os recursos web e você disponibiliza os itens que serão vendidos.

Há vários nichos de marketplaces. O Mercado Livre é um grande shopping em massa, que tem uma enorme diversificação de produtos e o público-alvo é gigantesco.

Os nichos aparecem em sites como o Elo7 e Enjoei, que visam clientes mais direcionados, com gostos específicos para produtos de decoração e itens exclusivos, confeccionado por artesãos, por exemplo.

Como nada na vida é de graça, as empresas cobram uma taxa do vendedor para comercializar os produtos em seu site. Esse valor é negociado com cada marketplace, mas geralmente é uma porcentagem sobre os itens vendidos.

como vender online, de graça,

Duas grandes vantagens para entrar no mundo dos marketplaces são:


Baixo investimento: todo o sistema para você apresentar seus produtos ao mundo já está pronto. É necessário pagar um valor por isso, mas os custos são significativamente menores do que abrir uma loja física – ou e-commerce – e você paga de acordo com a quantidade vendida; mais produtos comercializados, mais taxas serão pagas à empresa.

Marketing: você não precisa investir em marketing para vender. Todas as empresas cadastradas no site têm a mesma oportunidade de aparecer – desde as micro até as multinacionais – e isso é muito simples de explicar: a busca do cliente traz como resultado todos os itens encontrados, proporcionando mais visibilidade.

Um dos exemplos que entrou no marketplace é a Moura Informática, uma software house paulista que vende soluções para gestão há 26 anos. De acordo com o diretor comercial Felipe Moura, investir em vários canais para vendas é vantajoso.

“Oferecemos nossos produtos para competir com empresas de todos os portes. Isso fortalece a marca e leva credibilidade para o cliente, além de participarmos de uma rede de confiança na América Latina, que é o Mercado Livre”.

De acordo com uma pesquisa revelada pelo site E-bit, os marketplaces movimentam mais de 30% do comércio online. Em 2015, o e-commerce vendeu mais de R$ 40 bilhões em produtos, movimentando mais que muitos segmentos do varejo atualmente.

Para 2016, há uma expectativa de crescimento de 18% segundo a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), além de ser ótimo saber que, segundo o IBOPE (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatísticas), mais de 93% dos internautas afirmam ser mais cômodo comprar online.

Se gostou deixe um comentário!

Leia também: