468x60px

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Você pode estar sendo espionado por sua própria webcam.

Com a evolução do creepware, a webcam tonou-se a porta de entrada à esfera pessoal de milhões de usuários, convertendo-a em uma ameaça à privacidade digital.

Imagine que há alguém dentro da sua casa ou escritório, capaz de ouvir todas as suas conversas e presenciar os seus momentos mais íntimos.

O que ela poderia fazer com essa informação? O que aconteceria se todas essas conversas ou cenas tivessem sido gravadas? É possível que você não saiba e já esteja passando por esta situação.

Em virtude desta ameaça, Steganos decidiu incluir uma ferramenta especializada na proteção da webcam na mais recente versão do Privacy Suite.

O assunto virou polêmica depois da publicação de uma foto do CEO do Facebook, Mark Zuckenberg, na qual era possível observar que a sua webcam estava coberta com um adesivo. O principal questionamento era sobre se a medida era “paranoica” ou não.

A partir de então, muitos usuários passaram a questionar a sua vulnerabilidade diante dessa ameaça silenciosa. Creepware é uma prática de espionagem realizada através de um software de Spyware, com o qual uma terceira pessoa consegue acesso à webcam e microfone de um dispositivo.

Este tipo de software é extremamente perigoso e comumente utilizado para chantagear as vítimas dessa espionagem com a difusão de conteúdo privado ou de informações confidenciais. Outros usos frequentes são o roubo de informações financeiras e a prática de espionagem empresarial.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, não é preciso ser um hacker para espiar a webcam alheia. O famoso creepware Blackshades, que levantou uma megaoperação conjunta do FBI com a Europol, foi vendido durante quatro anos a milhares de usuários mal-intencionados por apenas 40 dólares. Estima-se que o software foi vendido em mais de 100 países e milhares de licenças foram distribuídas.

como bloquer a webcam, infotec blog

Como proteger a sua webcam contra creepware?
A proteção contra creepware requer uma ferramenta especializada, pois muitos destes softwares conseguem driblar firewalls e antivírus. Um dos grandes mitos em relação a este assunto é que a luz LED da webcam ficará ligada enquanto estiver ativada.

Porém, normalmente esta opção simplesmente é desativada para que o usuário não perceba que está sendo observado. Uma medida básica de prevenção é manter o computador, o sistema operacional e os navegadores sempre atualizados, além de usar um bom programa antivírus e um firewall.

No entanto, como já foi mencionado, alguns creepware conseguem driblar essas proteções. Mark Zuckenberg não estava errado ao tapar a sua câmera com uma fita, o uso de uma barreira física é uma medida que nenhum software consegue superar.

Porém, não é suficiente: o microfone do usuário continua completamente exposto e videoconferências por Skype ou qualquer outra atividade que requer o uso da webcam continuará podendo ser vigiada e gravada.

Para proteger os usuários contra este tipo de ameaças, surgiram ferramentas específicas de proteção contra creepware. Este é o caso da ferramenta Webcam Protection, que forma parte do programa Privacy Suite, dedicado à privacidade e segurança de dados.

A versão 18 do software da empresa alemã Steganos inclui este recurso especialmente desenvolvido para evitar que hackers tenham acesso à webcam e microfone do dispositivo.

A medida a tomar é bastante simples, com somente dois cliques o usuário estará protegido. Basta abrir o programa, clicar em “Privacidade” e a seguir clicar “Proteção da webcam”.

Para obter mais informações sobre o software de segurança digital da Steganos, visite o site do Privacy Suite em português.

Se você gostou das dicas deixe um comentário!

Leia também: