Consumidora realizando compra on-line
Noticias Segurança

Investigação sobre o Rastreador de Compras da Google

Este artigo foi criado pela equipe Bitdefender para uso exclusivo do InfoTec Blog

Talvez nem todos os consumidores saibam, mas a maioria das transações e compras realizadas na internet são rastreadas e analisadas por mecanismos de busca.

Isso gera um certo desconforto por parte dos usuários, que acreditam ter seus dados roubados pelas empresas que realizam essas pesquisas – como é o recente caso da Google.

A gigante em pesquisas na web está sendo investigada pelo FTC (Federal Trade Commission), órgão dos Estados Unidos que defende os direitos do consumidor.

Tudo começou com a ferramenta “Store Sales Measurement” – que funciona para medir a receita gerada pela loja, ao invés de fornecer apenas a quantidade de visitas recebidas através do servidor de buscas ou pelos anúncios divulgados pela marca.

Aparentemente, a ferramenta consegue rastrear 70% das transações realizadas nos Estados Unidos, estabelecendo uma conexão entre as atividades on-line dos usuários e suas compras off-line. Apesar disso, a Google se recusa a revelar os métodos utilizados para adquirir essas informações.

Segundo James Libor, gerente de Marketing e Tecnologia da Virgin Holidays, as informações adquiridas são importantes para as empresas. Elas permitem calcular com precisão qual o impacto do investimento digital nos resultados da loja, especialmente através de dispositivos móveis.

Graças à ferramenta, a Google já conseguiu reunir dados de bilhões de transações. E uma das principais preocupações do FTC é que essas informações inseridas nos processos de compra são pessoais, incluindo dados de cartão de crédito e endereços.

A gigante das buscas afirma que a privacidade dos usuários não é invadida, mas continua se recusando a fornecer maiores detalhes sobre a ferramenta, além de impedir investigações mais aprofundadas.

A empresa ainda garante que os usuários podem desabilitar essa função a qualquer momento, basta ir nas configurações da sua conta e pausar a opção “Web and App Activity”.

Apesar das reclamações, a Google se posiciona dizendo que investiu em segurança, priorizando a privacidade dos usuários, antes mesmo de lançar a ferramenta. E completa assegurando que os dados são criptografados e mesclados, alegando não entrar em contato e muito menos compartilhar as informações sobre cartões de crédito.

Na dúvida, a melhor solução para evitar que seus dados sejam roubados é comprar um antivírus para proteger seu dispositivo e suas informações. É sempre válido lembrar: evite navegar em sites suspeitos e desconhecidos e, se possível, desabilite a função da Google em sua máquina.

E você, o que acha sobre a nova ferramenta da Google? Deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.