Notícias Corporativas

Câncer de cabeça e pescoço é responsável por cerca de 10 mil mortes ao ano

É chamado de câncer de cabeça e pescoço qualquer tumor que se desenvolve nessas regiões. Ele pode ser chamado de acordo com a área atingida: cavidade oral, faringe, laringe e tireoide. O câncer de cabeça e pescoço pode atingir também os seios da face, glândulas salivares e linfonodos localizados no pescoço. 

Estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que a cada ano surgem cerca de 1,5 milhão de novos casos de câncer de cabeça e pescoço e 460 mil mortes. No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca) a estimativa é de 685 mil novos casos desse tipo de câncer entre 2020 e 2022. É o quinto mais incidente no país, responsável por cerca de 10 mil óbitos ao ano.  

A médica Mariana Guerra, oncologista do Hospital VITA, especialista em cirurgia de cabeça e pescoço, conta que as quartas e quintas décadas de vida são as de maior incidência e que os tipos de câncer de cabeça e pescoço mais comuns são os de pele não melanoma na face e de tireoide.  

O problema mais frequente entre os homens é o tumor de boca, enquanto entre as mulheres é o de tireoide. “Os homens historicamente são mais acometidos com câncer de cabeça e pescoço, mas a incidência nas mulheres tem aumentado”, destaca a oncologista. 

A Dra. Mariana, ressalta que 70% dos casos de câncer de cabeça e pescoço são descobertos já em estágio avançado por falta de informação. “Por isso, deve-se alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e de reconhecer os fatores de risco da doença”, alerta. 

Fatores de risco

De acordo com a Dra. Mariana, os fatores de risco variam de acordo com o tipo de tumor. Segundo ela, de uma forma geral pode-se destacar o tabagismo e o etilismo como principais fatores de risco. Outro fator que está cada vez mais presente é a infecção pelo HPV. Já em casos de tumores de tireoide, deve-se levar em conta também o histórico familiar e exposição à radiação (profissionais que trabalham em clínicas de imagem sem usar protetor da tireoide; história de radioterapia prévia). 

Sintomas de câncer de cabeça e pescoço: dor ao engolir, lesões que não cicatrizam na boca, nódulos no pescoço, rouquidão e perda de peso. 

Prevenção

O câncer de cabeça e pescoço é um dos tipos de tumores mais possíveis de prevenir, pois existem fatores de riscos evitáveis associados a ele. Formas de reduzir a ocorrência:

Vacina contra o vírus HPV;

Não fumar – cigarro ou qualquer derivado, como cachimbo, charuto e narguilé;

Não consumir bebidas alcoólicas em excesso;

Saúde bucal – ter boa higiene bucal e visitar o dentista regularmente, se possível a cada seis meses;

Usar preservativo;

Consultar um médico regularmente – ao menos uma vez ao ano, para fazer check-up de saúde e evitar possíveis diagnósticos tardios. 

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico de tumores de cabeça e pescoço é feito por meio de consulta médica, exame físico e biópsia. Os exames de imagem ajudam a avaliar a extensão do tumor e a presença ou não de metástases. O tratamento varia

de acordo com a região atingida, extensão da doença e saúde geral do paciente, como presença de doenças crônicas e estado nutricional. É direcionado ao tipo de tumor podendo envolver cirurgia, radioterapia e quimioterapia.

Tipos de câncer de cabeça e pescoço:

Câncer da cavidade oral – pode acometer lábios, gengiva, céu da boca e língua;

Câncer de faringe – acomete a região da garganta, por onde passam os alimentos e o ar inalado pelo nariz;

Câncer de laringe – atinge a região da garganta onde se localizam as cordas vocais;

Câncer de tireoide – afeta a glândula tireoide, responsável por produzir hormônios que regulam a função do coração, cérebro, fígado e rins.