Notícias Corporativas

Janeiro Branco: mês dedicado a conscientizar sobre Saúde Emocional

A campanha Janeiro Branco surgiu em 2014, época em que o palestrante e psicólogo mineiro Leonardo Abrahão notou a necessidade de criar o marco para abordar a saúde mental. De lá para cá, durante todos os meses de janeiro os olhares se voltam para a Conscientização da Saúde Emocional.

Segundo a OMS, a pandemia de COVID-19 desencadeou aumento de 25% na prevalência de ansiedade e depressão. Para o Conselho Federal de Enfermagem, o impacto emocional das perdas familiares, o sentimento de medo, a falta de socialização e a instabilidade no trabalho aumentaram o nível de estresse e sofrimento psíquico dos brasileiros.

O Neuropsicólogo Geraldo Rabelo recomenda práticas simples e cotidianas para prevenir os transtornos emocionais e fortalecer a saúde emocional:

1 – Atividade Física: a prática de exercícios físicos é indispensável. Nem que seja uma simples caminhada na rua de casa, são recomendados pelo menos 30 minutos por dia.

Torna-se prazeroso o momento de colocar os tênis, os fones de ouvido e sair para caminhar. O importante é começar a se exercitar e se movimentar.

2 – Alimentação: desembrulhar menos e descascar mais pode ser difícil, mas é o recomendado.

É muito mais fácil pegar o celular e pedir uma comida rápida pelo aplicativo. De vez em quando, é tolerável. Mas no dia a dia a recomendação é ingerir frutas e legumes, equilibrando os carboidratos e as proteínas de modo que gerem sabor e prazer.

3 – Água: não se esquecer de beber água. O dia passa rápido demais e, sem perceber, a pessoa não bebeu sequer um copo de água. Existem aplicativos que podem lembrar deste compromisso.

Outro fator que ajuda lembrar de tomar água é ter sempre por perto uma garrafa ou um copo, isso facilita a ingestão de água. Refrigerante não é água, é tolerável aos fins de semana ou em ocasiões apropriadas, no restante, tem que ser água mesmo.

4 – Sono: procurar dormir pelo menos 8h por noite. Para que o dia seja produtivo é necessário dormir, repousar e descansar. Para que isso ocorra é recomendado evitar telas e muita luminosidade nos 30 minutos que antecedem o sono. Ler um bom livro e fazer uma oração também são práticas saudáveis.

Caso o cérebro insista em ficar trazendo problemas e compromissos futuros, é aconselhável pegar uma folha ou caderninho na cabeceira e listar o que tem pra ser feito no dia seguinte. Em seguida: inspirar e expirar vagarosamente. Respirar é um ato simples, mas poderoso.

5 – Suplemento: a suplementação alimentar é outra forma de colaborar com o cérebro de forma segura e eficaz.

“Atualmente é possível nutrir o cérebro de forma confiável e responsável”, explica o Neuropsicólogo Geraldo Rabelo, que é um dos pesquisadores e desenvolvedores da SupleSafe.