Investir na bolsa de valores
Dicas Negócios

Como investir na bolsa de valores: dicas para iniciantes.

Aprender como investir na bolsa de valores é o primeiro passo para quem deseja se tornar um especialista nesse segmento. Muitas pessoas desconsideram essa opção de investimento por não saber como funciona o mercado de ações.

No entanto, mesmo iniciantes podem se tornar um trader profissional, começando pelas etapas básicas e entendendo melhor como essa modalidade opera. Por isso, preparamos um conteúdo especial para te ajudar a entender como investir na bolsa de valores, mesmo sem ter experiência no ramo.

Confira agora!

ENTENDA O QUE É E COMO FUNCIONA A BOLSA DE VALORES

Antes de aprender como investir na bolsa de valores, é essencial saber como ela funciona e qual o seu papel no mercado. Basicamente, trata-se do ambiente onde ocorre a negociação das ações das empresas, além de outros ativos financeiros.

Essa plataforma busca oferecer uma maior praticidade e segurança para os investidores que compram e vendem ações. O capital de uma empresa pode ser dividido entre centenas, milhares e até mesmo milhões de partes. 

A princípio, os empreendedores e outros sócios repartem essas parcelas entre si. No entanto, também é possível permitir que terceiros adquiram uma fração desse capital. São as chamadas ações, possibilitando que os investidores interessados se tornem acionistas da empresa.

Por conta da grande quantidade de ativos, empresas e pessoas interessadas nessas operações, criou-se uma plataforma que pudesse unir todas as partes em um só lugar.

Assim, além de garantir a segurança das transações, a Bolsa de Valores também reúne as ações de capital aberto, e permite que investidores acompanhem a movimentação do mercado.

No Brasil, o ambiente responsável por essas operações é a B3, união da BM&F Bovespa e da Cetip. Seu funcionamento, assim como investir na bolsa de valores de outros países, é simples.

Caso a empresa possua capital aberto, basta os investidores interessados comprarem uma ação de acordo com o valor estabelecido para se tornarem acionistas.

Em seguida, é possível operar da maneira que acharem melhor, como vender a ação novamente, ou mantê-la para receber parte dos lucros.

O QUE É PRECISO PARA OPERAR NA BOLSA DE VALORES?

Operar na Bolsa de valores

Muitas pessoas acreditam que aprender como investir na bolsa de valores demanda um grande conhecimento na área. No entanto, operar nesse mercado é relativamente simples.

A princípio, o investidor deverá entrar em contato com uma empresa autorizada, como uma corretora de valores.

Depois, precisará abrir uma conta com a corretora e transferir o capital que será utilizado nas negociações.

Por fim, basta começar a analisar as ações e operar na plataforma.

Caso o investidor deseje atuar sozinho, sem precisar entrar em contato com a corretora, será necessário ter algum conhecimento em home broker.

Isso porque essa plataforma permite acompanhar as transações diretamente pelo dispositivo do investidor.

Ainda, também informa as cotações do mercado, notícias em tempo real, os ativos disponíveis na conta e outros dados importantes.

Inicialmente, mesmo os iniciantes podem aprender como investir na bolsa de valores, pois os requisitos são mínimos.

No entanto, para obter resultados positivos, ou mesmo se tornar um trader profissional, é imprescindível estudar mais sobre o segmento e como funciona a movimentação do mercado.

Assim, operar na bolsa de valores também pode demandar orientações de especialistas, como Leo Nonato, para dar os primeiros passos de forma segura.

QUAL O VALOR MÍNIMO PARA INVESTIR NA BOLSA DE VALORES?

Em teoria, não existe um valor mínimo para investir na bolsa de valores.

Isso porque cada ação pode ter um preço diferente, possibilitando a compra de lotes ou frações do capital.

Por exemplo, se uma empresa disponibiliza suas ações por R$ 1, é possível realizar o investimento por esse valor.

É claro, grande parte das ações possuem um valor superior, de modo que é recomendável que o investidor tenha um aporte mínimo considerável.

Geralmente, as corretoras de valores indicam um capital mínimo de R$5 mil. Dessa forma, será possível fazer investimentos com maior segurança, e mais chances de retorno de lucros.

No entanto, essa não é uma regra, e fica à disposição do investidor determinar o valor mínimo que ele irá aplicar.

COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES SOZINHO?

Algumas pessoas procuram como investir na bolsa de valores sozinhas. Essa também é uma possibilidade para investidores que preferem atuar dessa forma.

Para isso, ainda é necessário abrir uma conta em uma corretora de valores ou empresa autorizada.

Isso porque será através dessa mediação que o investidor poderá acessar seus ativos e resgatar seu capital.

No entanto, pessoas que buscam uma maior autonomia não precisam solicitar as orientações da corretora, tendo a liberdade de realizar suas operações sozinho.

Além disso, existem centenas de empresas registradas na B3, de modo que é possível encontrar uma mediadora que atenda ao perfil do investidor.

Por fim, para operar sozinho no mercado de ações, é recomendável ter um certo conhecimento em home broker, como mencionamos acima.

Com essa plataforma, o investidor poderá administrar seus ativos sem interferências externas. Por isso, é importante saber como essa ferramenta funciona.

COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES PELA PRIMEIRA VEZ?

Aprender como investir na bolsa de valores pela primeira vez pode ser um grande passo para muitos iniciantes.

Assim, é importante contar com a ajuda de profissionais, principalmente da corretora de valores, que possam orientar durante a primeira negociação.

Dessa forma, a transação poderá ocorrer com maior segurança, além de ajudar o investidor a ganhar mais experiência.

Essa operação irá depender dos objetivos e interesses de cada um, de modo que é importante buscar orientações com autoridades em cada área.

No entanto, especialistas como Leo Nonato podem oferecer cursos e dicas essenciais para se dar bem no mercado de ações desde a primeira vez.

Por isso, antes de começar, é importante buscar esses direcionamentos, além de seguir as etapas básicas com a corretora escolhida.

BOLSA DE VALORES: QUEM É O INVESTIDOR PROFISSIONAL?

Um investidor especialista na Bolsa de Valores pode ser chamado de trader profissional.

Ou seja, ele atua no mercado de ações como uma profissão, além de desenvolver suas habilidades para potencializar os resultados.

Além disso, uma das características de um investidor profissional é sua atuação contínua. Uma vez que adquire a ação, ele não encerra suas atividades.

Pelo contrário, o trader continua operando e analisando as cotações, para fazer negociações vantajosas e aumentar seu patrimônio.

Para se tornar um investidor profissional, é preciso anos de dedicação e experiência, além de orientações de autoridades no assunto.

O especialista Leo Nonato, por exemplo, oferece treinamentos adequados para quem busca se especializar e entender melhor sobre o mercado financeiro na íntegra.

Existem vários tipos de investidores, inclusive perfis que adquirem ações apenas como parte da sua carteira de ativos.

No entanto, um profissional se dedica principalmente a esse segmento, e, consequentemente, adquire maior conhecimento e experiência.

TAXAS E CUSTOS PARA INVESTIR NO MERCADO DE AÇÕES

Iniciantes na bolsa de valores

Por fim, para aprender como investir na bolsa de valores é fundamental conhecer os custos dessas operações, além do valor necessário para o investimento.

Agora, confira algumas das principais taxas que fazem parte do mercado de ações:

1 – Taxa de Corretagem

A taxa de corretagem é a taxa cobrada pelas corretoras de valores por cada negociação de compra e venda.

Basicamente, é como uma comissão para a empresa mediadora. Por isso, pode variar de acordo com cada contrato e transação realizada.

2 – Taxa de Custódia

Além da taxa de corretagem, as corretoras também cobram a taxa de custódia, um valor mensal para armazenar os títulos e ações do investidor.

Dessa forma, a tarifa também depende de cada empresa e do contrato estabelecido.

3 – Taxas de TED

A Transferência Eletrônica Disponível (TED) é uma operação financeira comum, feita para transferir dinheiro entre contas.

Nesse caso, as taxas de TED são pagas no momento da retirada do capital, geralmente da conta da corretora para uma conta bancária.

Assim, é importante verificar a tarifa de cada banco, e verificar se a empresa também faz essa cobrança.

4 – Outros custos

AInda, o investidor deverá se atentar para os custos da B3, que envolvem taxas como:

  • Emolumentos;
  • Liquidação;
  • Registro.

Geralmente, são cobradas a cada transação pela própria bolsa de valores, dependendo do tipo de operação e do investidor.

POR QUE APRENDER COMO INVESTIR NA BOLSA DE VALORES?

As ações são apenas uma das opções de investimentos disponíveis para quem deseja atuar no mercado financeiro.

No entanto, muitos investidores iniciantes não sabem como investir na bolsa de valores, ou acreditam se tratar de um processo muito complicado.

Por isso, conhecer cada etapa é o primeiro passo para se tornar um especialista nesse segmento.

Além disso, saber como investir no mercado de ações permite que o investidor possa avaliar o custo-benefício com mais clareza, e decidir se deseja seguir nessa área.

Assim, mesmo que você opte por não investir na Bolsa neste momento, é fundamental conhecer esse procedimento, e saber que essa possibilidade é mais acessível do que se imagina.

Dessa forma, você poderá se tornar um especialista no mercado financeiro e diversificar suas aplicações com segurança e praticidade.

3 thoughts on “Como investir na bolsa de valores: dicas para iniciantes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.