e-Sports como profissão
Games Profissão TI

e-Sports: quando uma brincadeira vira profissão.

Alguns estudos apontam que a indústria de e-Sports – que agrega competidores, times, desenvolvedores e patrocinadores — deverá movimentar cerca de 2 bilhões de dólares até o ano de 2022. Um reflexo do sucesso desse segmento é o interesse de grandes marcas em investir nesse nicho.


Se você fez parte da população que cresceu nos anos 2000, quando o preço da internet era alto e a qualidade era péssima, certamente vai lembrar das famosas “lan houses. Na época, esses espaços ofereciam uma boa conexão com a internet e contavam com uma seleção exclusiva de jogos online.

O que muita gente não sabe é que esse foi o pontapé inicial para o surgimento dos torneios de jogos eletrônicos no país. Anos mais tarde, esses torneios passaram a ser chamados de e-Sports e tornaram-se uma modalidade competitiva de jogos eletrônicos profissionais, na qual os atletas são assistidos por uma transmissão online por meio de diversas plataformas de stream.

Esses jogos podem ser disputados de forma individual ou em equipe – via internet e computadores em rede, possibilitando que um jogador desafie seu adversário a quilômetros de distância .

O crescimento do e-Sports no Brasil

Atualmente, no país, são mais de 20 milhões de espectadores, sendo 9 milhões de fãs regulares e 12 milhões de entusiastas casuais. Ao todo, esse número representa um aumento de 20% da audiência no Brasil em 2020, em comparação ao ano anterior.

De acordo com pesquisas, a estimativa para 2021 é que os aderentes aos e-Sports atinjam um número ainda maior, chegando perto da casa dos 600 milhões de espectadores ao redor do mundo.

Um dos fatores que contribui para o crescimento desse público é a criação jogos para a plataforma mobile, como Free Fire, Call Of Duty e Guns Of Boom, que prometem ser sucesso nos e-Sports e agitar ainda mais o cenário competitivo, reforçando a importância do conteúdo móvel no mundo dos games.

Além disso, alguns estudos apontam que a indústria de e-Sports – que agrega competidores, times, desenvolvedores e patrocinadores — deverá movimentar cerca de 2 bilhões de dólares até o ano de 2022.

Um reflexo do sucesso desse segmento é o interesse de grandes marcas em investir nesse nicho, provando uma mudança de pensamento por parte das empresas que finalmente perceberam o potencial de marketing que existe por trás da indústria dos jogos eletrônicos.

mundo dos eSports

A presença das marcas na indústria dos games

No Brasil, a empresa de telefonia Vivo é considerada a marca que possui o maior investimento nos games, sendo patrocinadora oficial do time Vivo Keyd, famoso pelas suas equipes de Valorant, CS:GO, Free Fire, Make a Wish, League of Legends e PUBG Mobile. Essa parceria existe desde 2014 e, recentemente, foi estendida até o ano de 2022.

Outra empresa que tem investido em e-Sports é a Mercedes-Benz, marca de veículos comerciais e de luxo. No final de 2020, a Mercedes-Benz tornou-se a mais nova parceira dos eventos globais do League of Legends, jogo desenvolvido pela Riot Games.

Falando em parceria, a plataforma de jogos online Betway permite aos seus usuários fazer apostas em diversos campeonatos, como League of Legends e CS:GO. A Betway também é um patrocinador de eSports, principalmente após seu último acordo com a PSG.LGD – considerada uma das maiores equipes de DOTA 2 do mundo.

Conheça os principais jogos e torneios

Com o intuito de organizar a categoria do e-Sports, segmentar os diferentes tipos de jogos e preparar os principais competidores para os torneios internacionais, diversos campeonatos foram criados. Entre eles, o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL). O vencedor d0 1º Split é responsável por representar o Brasil no Mid Season Invitational (MSI), enquanto o vencedor da segunda fase compete no Mundial de CBLoL.

Além disso, temos também a Liga Nacional de Futebol Eletrônico (LNFE), em que os competidores entram em uma partida de FIFA e disputam um dos maiores clássicos da PlayStation, e o CLUTCH Circuit, que também é considerado um dos principais campeonatos de e-Sports, principalmente pela fama do jogo Counter Strike: GO (CS:GO).

No ano passado, o ESL One: Road to Rio reuniu jogadores de quatro continentes, valendo pontos para a competição da VALVe.

Como você pode ver, ao longo das décadas o e-Sports deixou de ser apenas uma modalidade de jogo eletrônico e ganhou força no universo das competições, tornando-se um negócio multimilionário, movimentando indústrias mundiais e trazendo à tona grandes competidores. Essa, sem dúvida, é a maior prova que o que antes era apenas uma brincadeira, hoje é considerado uma profissão.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.